Conheça a História Vocacional do Diácono José Roberto

“DEUS É AMOR” (Cf. 1Jo 4,8).

UM POUCO DA MINHA HISTÓRIA E UM CONVITE ESPECIAL PARA VOCÊ

 

“Deus é Amor” (1Jo, 4,8). Mais do que um versículo meramente escolhido para ser mais um lema de ordenação presbiteral, essa verdade ampara todos os meus passos, traduzida na vida que Deus me permitiu viver e na missão que Ele me confia, com uma família, amigos, comunidade, lutas, superações, perdas, aprendizados etc. Uma verdade que me ajuda a querer ser melhor a cada dia, que me compromete com o próximo e com Aquele que me amou primeiro: Deus.

Saudações em Cristo! Prezados irmãos e irmãs, é com o coração radiante de alegria, por ocasião da minha ordenação presbiteral que se aproxima, que escrevo estas linhas para compartilhar com vocês um pouco da minha vida e dos passos que me trouxeram até aqui.

Eu sou José Roberto Vieira (Beto), diácono transitório em exercício na Paróquia São Paulo Apóstolo, Sarandi-PR, mas natural da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Judas Tadeu, Maringá-PR. Sou o filho caçula de Antonio e Clotilde Maria que, casados há 53 anos, tiveram seis filhos, dos quais dois faleceram ainda bebês e um falecera há quase um ano e meio (com 48 anos de idade, vitimado pelo câncer). Somos gente de origem simples, graças a Deus.

Como, desde muito pequeno, sempre demonstrei interesse pelos estudos, aconselhados por meus professores, meus pais, até então lavradores, decidiram mudar-se para Maringá, comigo, então, cursando a quinta série, deixando para trás toda uma vida vivida no campo para que eu pudesse estudar e me formar profissionalmente. Meu pai, assim que chegamos a Maringá (1995): “Meu filho, sua mãe e eu queremos muito que você seja alguém na vida, portanto, arrendamos nosso sítio até conseguirmos vendê-lo e alugamos esta humilde casa (de dois cômodos inacabados), para que você possa estudar. O pai e a mãe não tem muito estudo, mas nós dois vamos trabalhar até você completar o Segundo Grau (hoje, ‘Ensino Médio’) e você? Cuidará da casa e estudará para ser alguém na vida! Ao completar a maioridade, então, você começará a trabalhar e sua mãe não trabalhará mais fora de casa”. Meu pai foi vendedor ambulante, porteiro, até, com a graça de Deus, ser aprovado em concurso público municipal e aposentar-se como agente de vigilância; já minha mãe, trabalhava como diarista e empregada doméstica em casa de famílias na cidade. Quanto orgulho eu tenho dos meus pais!

Deus nos abençoou. Em 1999, meu pai conseguiu vender o nosso sítio e, com o dinheiro, comprar a casa própria na qual vivem até hoje, na querida paróquia onde fui crismado, cresci e atuei expressivamente, engajado na CEB Santa Rita de Cássia (Grupo de reflexão São José) e em vários Movimentos e Pastorais durante toda a minha juventude - Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Judas Tadeu, Maringá-PR, a quem serei eternamente grato pela linda família que somos e pelo carinho que temos uns pelos outros!

Fomos sempre católicos. Embora paulista (já que meus pais moraram poucos anos fora do nosso Estado, período em que nasci), comecei a caminhar cedo na Igreja, numa capelinha, como coroinha, num Patrimônio Rural chamado Alecrim, Município de Ivaiporã, Paraná, onde recebi a Primeira Eucaristia e participava, com minha família, das Missas e/ou Celebrações da Palavra dominicais. Eu já queria ser padre, sabiam? Contudo, vi tudo acontecer muito rápido e quando dei por mim, criança ainda, meus pais já tinham aberto mão de tudo o que tínhamos (sítio, casa, animais, maquinários agrícolas etc) visando proporcionar-me um futuro melhor.

Estudei. Prestei vários concursos públicos. Fui aprovado em quase todos (exceção a um). Fiz opção pelo Serviço Público Municipal. Trabalhei na SAOP (hoje SEMUSP) por quase 10 anos. Consegui concluir uma faculdade também nesse mesmo período. Sou graduado em Letras Português/Inglês, pela UEM (2002-2006). Lecionei em escola de línguas. Eu era muito feliz, sempre rodeado de muitos amigos. Contudo, um antigo sonho que permanecera adormecido há anos, visando corresponder a tudo o que meus pais fizeram por mim, resolveu despertar: ser padre!

Entretanto, como dizer isso a meus pais, frente a tudo o que eles fizeram por mim (para que eu estudasse e me formasse profissionalmente), agora, no momento em que eu começava a colher os frutos de tantos de esforços e lutas? Eu não disse. Por isso, os anos foram passando e eu? Continuava me sentindo na obrigação de trabalhar e ajudar financeiramente em casa.

“Deus é Amor” (cf. 1Jo 4,8). Foi então, que, em meio à correria do dia-a-dia, chegando tarde do trabalho (pois, ao sair do serviço público, eu lecionava em escola particular), encontrei meus pais à minha espera. Minha mãe: “Filho, estamos preocupados com você! Percebemos que quando você não está no trabalho, está envolvido com afazeres da Igreja, vida que você ama! Mas, também temos percebido estes anos todos o quanto você se preocupa em cuidar de nós, seus pais! Problema: nós não viveremos eternamente! Você precisa fazer sua própria vida e caminho! Por que, então, ao invés de dedicar o tempo que sobra a Deus, você não dedica sua vida toda a Ele? Vai lá! Conversa com o padre e diga que você também quer ser padre!”.

Ingressei no Seminário de Filosofia da Arquidiocese de Maringá em 2011, no segundo ano da graduação por conta das disciplinas pedagógicas já cursadas na graduação anterior... Um caminho junto a quem já estava caminhando... Quantos novos desafios! Ser inserido numa nova (e grande) família bem diferente da minha pequena família (de três pessoas), um ambiente bem diferente do meu ambiente de trabalho (escritório), um universo que iria além da Letras... Lidar com a humanidade das pessoas, tornando-me, a cada dia, mais humano! Experiências rejuvenescedoras de readaptação, recomeço... Tempo de muito crescimento... Conformação a Cristo! Deus abençoe todos os formadores e formandos!

Esses passos, contudo, querem levar-me além! Por isso DIGO SIM ao convite que Deus me faz, em resposta ao Amor com que me chama e convido todos vocês, queridos irmãos e irmãs, a participarem da Missa em que serei ordenado Presbítero (padre), a ser presidida por Dom Anuar Battisti, em 19/05/2017, às 20 horas, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Judas Tadeu, Maringá-PR. Conto com a presença de todos vocês! Rezem por mim, para que em tudo e aprenda a ser um grande comunicador do Amor com que Deus amou primeiro.

Com muito carinho.

Autor: Diácono José Roberto (Beto)