Carisma diocesano

Além de fundamentar-se no seguimento de Cristo, próprio de todos os batizados, na configuração com Cristo e com a Igreja e na identidade específica dos ministros ordenados, a formação presbiteral se fundamenta também na identidade do presbítero diocesano, ao qual cabe boa parcela da ação pastoral, missionária e evangelizadora da Igreja no Brasil.

O presbítero diocesano é aquele que pertence a uma Igreja particular e nela se incardina, para, em comunhão com o bispo, o presbitério e o diacônio, pastorear uma porção do Povo de Deus. A vida e o ministério do presbítero diocesano encontram seu eixo na relação com a Igreja particular, o bispo diocesano, o presbitério e o diacônio.

Na comunhão do presbitério, o presbítero diocesano é responsável pela ação pastoral evangelizadora da Igreja particular. Cabe a ele fazer com que a diocese e as paróquias que a constituem, reformulem suas estruturas tornando-se casas e escolas de comunhão, redes de comunidades evangelizadoras, expressão visível da opção preferencial pelos pobres (DAp, n. 170, 172, 179). A instituição e o desenvolvimento da comunidade eclesial paroquial na diocese constituem o campo privilegiado de atuação do presbítero diocesano, sem esquecer outras realidades e necessidades pastorais não necessariamente vinculadas às paróquias.

O presbítero diocesano é chamado a ser missionário na Igreja particular. A missionariedade implica na disponibilidade para ser enviado a paróquias de outras dioceses, especialmente, às mais pobres e distantes e a outros serviços como assessoria de acompanhamento de pastorais específicas e movimentos eclesiais (CNBB, Doc. 75, n. 22). 80. O princípio que orienta e anima a vida do presbítero diocesano, enquanto discípulo missionário, é a caridade pastoral como participação da própria caridade pastoral de Cristo Jesus (PDV, n. 23). Suas opções e atividades devem constituir uma condição prévia e um estímulo para a caridade pastoral, bem como, serem decorrentes dela. O presbítero diocesano encontra “no próprio exercício da caridade pastoral o vínculo da perfeição sacerdotal, que conduz à unidade de vida e ação” (PO, n. 14). Ela é uma característica essencial da espiritualidade do presbítero diocesano e se expressa, de modo especial, na vivência do carisma do celibato.

Fonte: Pascom Seminário - Doc. Diretrizes para a formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil – Doc. 93